Como Abrir um MEI? Passo a Passo para ter um CNPJ Gratuitamente

Como abrir um MEI

Para se formalizar como uma empresa, você precisa se cadastrar como um profissional autônomo e passar a possuir um CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas), ele é o número emitido pela Receita Federal que serve para identificar sua empresa e garantir alguns direitos. Existem duas formas para isso: abrir um MEI no Portal do Empreendedor ou se cadastrar como ME contratando um contador. 


O que é MEI

MEI (ou Microempreendedor Individual) é uma forma simplificada e legalizada de formalização de pequenos negócios no Brasil. Foi criado pela Lei Complementar nº 128/2008 e começou a funcionar em 1 de julho de 2009, o MEI foi criado para facilitar a legalização de trabalhadores autônomos e empreendedores que faturam até um determinado limite anualmente e desejam sair da informalidade, facilitando a obtenção de crédito e a emissão de notas fiscais. Os MEIs têm um regime tributário simplificado, pagando somente um valor fixo mensal que inclui tributos como o INSS, ISS ou ICMS, dependendo da atividade exercida.


Quem pode ser Microempreendedor Individual

Para se tornar um Microempreendedor Individual é necessário cumprir alguns requisitos estabelecidos pela legislação brasileira:

1- Deve ser maior de 18 anos ou ser emancipado legalmente;

2- Faturamento de até R$ 81.000,00 (oitenta e um mil reais) por ano;

3- Não ser sócio, administrador ou titular de outro empreendimento;

4- Ter no máximo um funcionário contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria profissional;

5- Exercer uma ou mais atividades permitidas pelo programa MEI: confira a lista completa.

 

Não pode ser MEI:

1- Menores de 18 anos ou menores de 16 anos não emancipados;

2- Estrangeiros sem visto permanente;

3- Profissionais liberais regulamentados, como médicos, advogados, contadores, engenheiros, arquitetos, entre outros, que devem seguir as regras de seus conselhos profissionais e não podem ser MEI devido à natureza específica de sua atividade;

4- Servidores públicos federais, estaduais, municipais ou do Distrito Federal, independentemente do regime jurídico;

5- Pessoas que possuem mais de um estabelecimento ou que sejam sócias, administradoras ou titulares de outra empresa;

6- Empresas que prestem serviços de consultoria ou assessoria;

7- Pensionista inválido.

Essas são apenas algumas das situações em que não é possível abrir um MEI, e é fundamental verificar a legislação atualizada para confirmar se uma atividade específica pode se enquadrar ou não no regime do Microempreendedor Individual.


Posso ser CLT e abrir um MEI ao mesmo tempo?

Sim, é possível ser empregado em regime CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) e também ser Microempreendedor Individual (MEI) ao mesmo tempo, desde que você cumpra as obrigações de cada regime de forma separada e não haja conflito de interesses entre as atividades desempenhadas.

Como CLT, você terá um vínculo empregatício formal com uma empresa, com todos os direitos e deveres previstos na legislação trabalhista, como salário fixo, férias remuneradas, 13º salário, FGTS, entre outros benefícios.

E como MEI, você será um empreendedor individual, podendo exercer uma atividade econômica por conta própria e faturar até o limite estabelecido pela legislação (atualmente R$ 81.000,00 por ano). Nesse regime, você pagará um valor fixo mensal que inclui os tributos previdenciários e fiscais.


Preciso pagar para abrir um MEI?

Não, a abertura do MEI é 100% gratuita e segura. No entanto, após a formalização, o MEI precisa pagar mensalmente o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), que é uma taxa única que engloba os tributos previdenciários e fiscais. As taxas variam dependendo do tipo de atividade exercida, confira:

–  Para comércio ou indústria (R$ 67,00):  R$ 66,00 do INSS + R$ 1,00 do ICMS

–  Para prestadores de serviços (R$ 71,00):  R$ 66,00 do INSS + R$ 5,00 de ISS

–  Para comércio e serviços (R$ 72,00):  R$ 66,00 do INSS + R$ 1,00 do ICMS + R$ 5,00 de ISS.


Como abrir um MEI

Abrir um MEI é muito simples! Após se certificar de que sua atividade se enquadra nas permitidas para MEI e que você atende aos requisitos, você precisa criar uma conta no Portal Gov, caso você já tenha, basta entrar no site oficial do Portal do Empreendedor (www.gov.br/empresas-e-negocios/pt-br/empreendedor), que é o portal do governo brasileiro dedicado aos empreendedores individuais e seguir os passos abaixo.


Passo a passo para abrir um MEI

1- Realize o cadastro: No portal, clique na opção “Formalize-se” e faça o seu login com GOV.BR.

Realize o cadastro no Portal Gov para abrir um MEI

Em seguida preencha os dados solicitados, incluindo informações pessoais e sobre sua atividade empresarial. Também é preciso definir um nome fantasia e o endereço da sua empresa.

2- Conclua o cadastro e imprima o Certificado do MEI:  Após preencher todas as informações necessárias, revise os dados e finalize o cadastro. Após a confirmação, você poderá imprimir o Certificado da Condição de Microempreendedor Individual (CCMEI), que é o documento oficial que comprova sua inscrição no programa MEI.

É importante se manter informado(a) sobre as obrigações fiscais, trabalhistas e previdenciárias do MEI, para garantir o cumprimento da legislação e evitar problemas futuros.


Deveres do Microempreendedor Individual

Como Microempreendedor Individual (MEI), existem alguns deveres a cumprir para estar em conformidade com a legislação e manter sua empresa regularizada. Abaixo estão alguns dos principais deveres do MEI:

– Pagar o DAS: Agora que você se formalizou será necessário pagar mensalmente a taxa única DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional) que comentamos anteriormente. É importante pagar o DAS até o dia do vencimento para evitar multas e juros por atraso.

– Notas Fiscais: Quando os serviços são prestados direto para um consumidor final, ou seja, para pessoas físicas, não é necessário emitir a nota. Já se o serviço for prestado para pessoas jurídicas, para empresas de qualquer porte, a nota fiscal é obrigatória.

– Entregar a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN-SIMEI): O MEI precisa enviar a Declaração Anual do Faturamento do Simples Nacional (DASN-SIMEI), que mostra o quanto ele ganhou no último ano. Se você enviar a declaração até dia 31 de maio, você não paga nada. Sem a DASN-SIMEI, não pode pagar o DAS todo mês, e seu MEI pode ser cancelado, por isso, fique de olho nas datas.

Também é importante ficar de olho no limite de faturamento. Se passar de R$ 81.000,00 por ano, é hora de sair do MEI e se tornar uma microempresa (ME) ou empresa de pequeno porte.


Benefícios de se tornar MEI

Ao abrir um MEI e se tornar um Microempreendedor individual, você também garante uma série de benefícios que irão facilitar sua vida como empreendedor. Conheça alguns deles:

– Simplicidade na Formalização: O processo de registro como MEI é simplificado e pode ser feito de forma rápida e gratuita pela internet, sem a necessidade de contratar serviços de contabilidade.

– Cobertura Previdenciária: O MEI tem acesso a benefícios previdenciários, como aposentadoria por idade, aposentadoria por invalidez, auxílio-doença, salário-maternidade e pensão por morte, desde que cumpra com as obrigações de pagamento mensal do DAS.

– Emissão de Nota Fiscal:  O MEI pode emitir notas fiscais eletrônicas para seus clientes, o que facilita a formalização das transações comerciais e é exigido em muitos casos para a prestação de serviços ou venda de produtos.

– Acesso a Serviços Bancários:  O MEI pode abrir conta bancária empresarial em seu nome, facilitando a gestão financeira do negócio e o acesso a serviços bancários, como crédito e financiamentos.

– Simplicidade Tributária:  O MEI possui um regime tributário simplificado, pagando um valor fixo mensal que engloba os tributos previdenciários e fiscais, sem a necessidade de calcular impostos sobre o lucro ou realizar escrituração contábil complexa.

– Legalização do Negócio:  O MEI deixa a informalidade ao se registrar, o que traz segurança jurídica para o empreendedor e seu negócio, além de possibilitar participação em licitações e acesso a parcerias comerciais.

– Facilidade de Contratação de um Empregado:  O MEI pode contratar até um funcionário registrado em regime CLT, o que pode ser vantajoso para o crescimento do negócio.

– Possibilidade de Emissão de Alvará Provisório:  Muitas prefeituras permitem a obtenção de alvará de funcionamento provisório para o MEI, o que agiliza o processo de abertura e legalização do negócio.


Sou MEI, e agora?

Parabéns! Agora que você está formalizado(a) como MEI, poderá passar mais credibilidade para os seus clientes e aumentar suas vendas. 

Invista na divulgação do seu negócio, utilize estratégias de marketing e divulgação para atrair mais clientes e expandir sua clientela. Isso inclui o uso das redes sociais e a criação de um site profissional para apresentar seus produtos/serviços e vender 24 horas por dia. A Klique é especializada em criar sites incríveis que farão toda a diferença na sua empresa, com os nossos sites bem desenvolvidos você conseguirá alavancar suas vendas e trazer mais visibilidade para a sua empresa. Conte conosco para fazer a sua presença online acontecer! 

Para mais informações, conheça o nosso portfólio: https://kliquesites.com.br

Gostou? Compartilhe nossa postagem!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Postagens Recentes

Agradecemos por sua mensagem!

Sua busca por soluções está em boas mãos. Em breve você receberá nossa resposta pelo Whatsapp. Estamos empolgados para embarcar nessa jornada de crescimento com você!